27/03/10

Mensaige de l Die Mundial de l Triato 2010


L Die Mundial de l Triato oufrece-mos ua ouportunidade de celebrarmos l triato subre to la sue míriade de formas. L triato ye ua fuonte de dibertimiento i anspiraçon i ten la capacidade d'uneficar las muitas i dibersas culturas i pobos que eisistien por to l mundo. Mas l triato ye mais que esso i tamien mos porporciona ouportunidades de daprendizaige i anformaçon.

Faç-se triato por to l mundo i nin siempre nun ambiente teatral tradecional. Ls spetáclos puoden acuntecer nua pequeinha aldé africana, acerca dua muntanha na Arménia ó nua minúscla ilha de l Pacífico. Solo ye perciso un spácio i un público. L triato ten la capacidade de mos fazer sorrir, de mos fazer chorar, mas tamien debe fazer-mos pensar i refletir.

L triato acuntece debido a un trabalho d'eiquipa. Ls atores son las pessonas que se beien. Mas eisiste un cunjunto amperssionante de giente que queda fuora de bista. Son eilemientos tan amportantes cumo ls atores, i las sues capacidades bárias i specializadas tornan possible la criaçon dun spetáclo. Tamien eilhas dében partelhar ls triunfos i sucessos que speramos q'ocuorran.

Die 27 de Márcio ye ouficialmente l Die Mundial de l Triato. Sob muitos aspetos, todos ls dies deberian ser cunsidrados dies de l triato, ua beç que ne ls cabe la respunsabelidade de dar cuntenidade a la tradiçon d'adbertir, d'eiducar i de sclarecer ls nuossos públicos, sin ls quales nun eisistimos.

Dame Judi Dench

(Traduzido a partir de l pertués: http://www.culturacentro.pt/noticia.asp?id=250)

4 comentários:

Almendra disse...

...ua beç que ne ls(mos) cabe la respunsabelidade de dar cuntenidade a la tradiçon d'adbertir, d'eiducar i de sclarecer ls nuossos públicos, sin ls quales nun eisistimos...

Çculpa Firmino, mas nun cuncordo cun esta parte de l que screbiste. Naide ten que adbertir, eiducar ou sclarecer ls outros. Debemos ser berdadeiros e chega. Debemos si, adbertir-mos, eiducar-mos e sclarecer-mos uns culs outros drento de un sprito de lhiberdade, que ye l melhor que se debe fazer. Naide debe tener la presunçon de saber ou ser mais que ls outros ou pensar que ye l mais sabido, l que ten mais poder, l chefe.

Fir disse...

Caro Almendra,

de facto, já vi muitos espectáculos de teatro bastante pretensiosos. Mas já vi muitos que não o são. A sua posição de que "Naide ten que adbertir, eiducar ou sclarecer ls outros" parece-me exagerada." "Adbertir, eiducar i sclarecer", para usar as palavras da actriz Dame Judi Dench, autora do texto, são "funções" agregadas ao teatro desde as suas origens e, na opinião dela (que eu subscrevo), devem continuar a ser respeitadas. Nada disso é pretensioso.
O mundo precisa de quem queira e saiba divertir, educar e esclarecer, sempre em Liberdade, é certo, mas a Liberdade também tem de ser aprendida.
Não gosto muito de falar da minha vida, mas o seu comentário fez-me lembrar uma história que eu não posso deixar de contar. Aqui há uns anos, fui a uma associação lisboeta, para frequentar uma oficina sobre Literatura dedicada a um autor específico, já não me lembro quem. Na primeira aula, o "professor" apresentou-se e disse que não tinha a pretensão de nos ensinar nada e que não sabia mais do que nós. Levantei-me e fui-me embora. Se o meu objectivo era aprender, por que carga de água havia de perder o meu tempo com um tipo sem "pretensão" de ensinar e que ainda por cima não sabia mais do que eu?

Adelaide Monteiro disse...

Furmino:
Gustei dessa de la tue aula i de l porsor que dezie que nun sabie mais que tu, eheheheh.
Malo porsor se nun sabe mais que ls alunos! L porsor tamien daprende cun ls alunos, i muito, mas isso ye mui defrente de dezir que nun sabe mais.
Un beisico joben Furmino que tenes ua bantaige mui grande que ye la de seres inda mui nobico, mas al mesmo tiempo tenes muito saber.

Adelaide

Fir disse...

Buonas tardes Adelaide.
Agradeço-lhe as suas palavras, embora não me ache merecedor delas. É que aquilo que eu sei está muito longe daquilo que eu gostaria de saber (também sei, infelizmente, coisas que preferia ignorar, mas isso são contas de outro rosário). Quanto ao facto de ser "nobico", não se deixe enganar pelas aparências. Quem olha para mim, julga-me normalmente mais novo do que sou na verdade. Às vezes, quando viajo ou vou a algum evento, no acto de compra do bilhete, ainda me perguntam se tenho Cartão Jovem. «Tá bem tá!». Onde é que isso já lá vai?
Besos,
Fir